Filho da puta

Foi assim, simples. Eles estavam lá, ele por cima ela por baixo. Estava meio escuro, apenas a luz da televisão e as vozes dos atores. Acabou fazendo calor e ele resolveu tirar a camiseta. Simples. Sendo sacudida no sofá duro que machucava suas costas ela tentava olhar aquela mancha perto do pescoço. O que era aquilo? Tão simples assim de ver.

“Não deve ser nada”. Ele não seria tão cara de pau de aparecer com uma marca de outra, como assim?

Mas ele continuava por cima. “Está meio escuro, ela não vai ver”.

Viviam num amor regado de “simples assim”, de “você é a melhor”, “igual a você nunca conheci”, e todas as frases que canalhas gostam de dizer para burras acreditarem.

Pobres burras. Deviam ter um estágio comigo para aprenderem a abusar deles e não se apegarem. Aprenderem a fingir romances e curtir a relação. Aprenderem a ter lanchinhos na geladeira, pra quando tiver fome, pegar lá e comer.

Sabe quando você começa a pensar em contas pra pagar, fofocas das amigas, problemas no trabalho e só fica lá de perna aberta? Pois é. Ela ficou lá de perna aberta olhando a mancha. O ódio começou a subir pelas pernas no lugar do orgasmo. Não foi legal. Queria pedir para acender a luz, mas naquela espelunca a luz da sala tinha queimado.

Parecia uma sujeira. “Éca”.

Parecia uma pereba. “Éca”.

Mas não era nada disso. Termina logo filho da puta. Ela ainda era legal de esperar ele terminar. Burra mesmo.

Ele terminou, ela deu um falso sorriso.

Ele foi ao banheiro e ela foi atrás. Lá tinha luz. Ela viu de perto. Era a marca de outra. “Biscate”.

“Eu não tive culpa, eu não queria isso. Eu fiquei bravo com a fulana”.

Ela ficou chateada. A outra ele leva no motel, cama macia, banheira e muito prazer ao ponto de deixar marcas.

Quando ele volta pra ela, o sofá é duro, a casa é suja, ou então é no carro mesmo. Agora vai ser obrigada a ver marcas.

Pulou em cima dele e unhou a mancha até escorrer sangue. Deu tapas, cuspiu, xingou. Chutou o saco e rancou o pinto fora. Bom, é isso que se passou na mente dela quando disse um simples “filho da puta” e foi chorar no quarto sozinha.

Anúncios

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: