Archive for the ‘amizade’ Tag

Essa noite eu sonhei com você

Não sei porque, pois tem tanto tempo que a gente não se econtra de verdade que eu já nem sentia mais saudades. As últimas vezes que te vi foram tão rápidas e tão diferentes do que costumavam ser, que eu nem imaginava que poderia ter um sonho desses.

Então eu encontrei uns arquivos pra lá de antigos no computador e foi mexendo neles que vi uma foto sua com o mesmo cabelo que você tinha no meu sonho. Era naquela época de cabelos ruivos, sabe? E bem lisinhos. Bati o olho naquela foto que você tirou enquanto falava no celular comigo chorando por causa de um namoradinho insignificante e lembrei do sonho…

No sonho eu e a Isa te chamávamos pra sair, mas apesar de falarmos pelo celular eu te via e você falava que não sabia se ia ou não com aquela voz de dúvida sua e fazia aquela sua cara de “não sei” acompanhada de uma risadinha. A Pri também estava lá e chamava pra festa que era na fazenda.

Foi tão bom, porque a gente não tinha nada de mais importante a não ser te convencer de ir na festa da fazenda. E você estava em dúvida, imagino, porque também sente saudades daquela época, mas faz de tudo para lidar com a nova fase paz e amor vegetariana que você inventou de viver. Uma fase que eu não entendo, pois você mudou muito e deixou muita coisa para trás. Praticamente não é a mesma pessoa, a mesma amiga de antes.

Então resolvi fuçar até encontrar mais fotos nossas. A gente se divertia tanto. Encontrei umas frases nossas como aquela que diz que até as cerejas são felizes menos nós, mas na verdade eu era feliz sim com você ao meu lado, ou ao lado da Balalaika que sempre virava nossa companheira.

De repente deu um salto no tempo e do nada tudo ficou para trás e nós praticamente viramos conhecidas. Talvez se eu não tivesse te convencido a ir naquela rave comigo você nunca teria começado a gostar dessas coisas de natureza com drogas, apesar de afirmar que só gosta mesmo é da música e da natureza. Eu também gosto mesmo é apenas da música e da natureza, então porque eu comecei a me sentir tão diferente de você e a gente nunca mais conseguiu ter uma conversa em comum?

Essa noite eu sonhei com você e me vieram os belos momentos guardados na memória.

Cerejas Felizes

Ate as cerejas são felizes

Anúncios

Os 47 quilos de Bárbara

Eu fiquei boa parte da minha vida pesando 47 quilos. Éramos eu e uma amiga com esse peso. Ela era, e ainda é, mais alta que eu e isso me deixava um tanto feliz porque significava que, apesar de toda a magreza dela, eu era a mais magra.

O tempo passou e eu continuei na mesma altura, ela conseguiu crescer mais um pouco, eu engordei e ela continuou nos 47.

Nós duas conseguimos chegar juntas nos 49, mas o tempo passou novamente, ela voltou para os 47 e eu cheguei nos 57!

Hoje ela deve ser a que fica um tanto feliz, já que é a mais alta e a mais magra.

Isso me deixa um tanto irritada porque eu sei que minha tendência é chegar nos 67 em pouco tempo, já que eu não consigo parar de comer e odeio fazer exercícios.

Que essa minha amiga gostosa e esbelta me dê licença, mas eu terei de contar seu nome neste texto, pois desconfio que tenho a síndrome do ‘B’.

1°: Eu engordava só na Bunda;

2°: Estou engordando na Barriga;

3°: Ela, a esbelta, se chama Bárbara.

Parece que a gente sempre escolhe alguém na vida para nos compararmos. Como fomos muito unidas na fase mais complicada e marcante da vida, adolescência, e éramos companheiras para tudo, até na magreza, sinto que eternamente tudo relacionado à gordura em mim será comparado a ela.

As calças já não me servem mais, as blusas estão apertadas e minha vó fez uma brincadeirinha no almoço de que a Barriguinha já está começando aparecer.

Tenho medo de que o próximo ‘B’ em minha vida seja de Bisturi.

Tudo isso por causa dos 47 quilos totalmente estáveis da Bárbara.